Preciosa (Precious)

Preciosa – Uma História de Esperança (Precious, Drama: 2009/2010 – 110 min)

Dirigido por Lee Daniels com roteiro por Damien Paul baseado no livro de Sapphire. Estrelando: Gabourey Sidibe, Mo’Nique, Paula Patton, Lenny Kravitz, Mariah Carey e Sherri Shepherd.

O cinema é capaz de nos divertir, de servir apenas como passa-tempo ou, em muitas vezes, de nos deixar importantes lições. Quem nunca ficou reclamando da sorte por enfrentar algum problema que no fundo era pouca coisa comparado ao que tantas pessoas sofrem ao nosso redor? E a história de “Preciosa (Precious)” é um verdadeiro ‘tapa na cara’ da gente que tende a se manter alheio a tanta coisa que vive acontecendo por ai.

No filme acompanhamos a terrível história de Claireece Precious Jones (Gabourey Sidibe), obesa, grávida pela segunda vez aos 16 anos do próprio pai e que, além de tudo isso, tem que aguentar a sua repreensiva e violenta mãe (Mo’Nique). Suas remotas perspectivas de uma vida menos ordinária surgem quando ela entra para uma escola ‘alternativa’, depois de ser expulsa de seu colégio.

Numa história com uma carga dramática tão grande, não cair no costumeiro dramalhão exagerado é um dos pontos positivos de “Preciosa”. Outro fator que ajuda e muito o desenrolar da trama é a mescla em alguns momentos de cenas ‘reais’ com os pensamentos/sonhos da protagonista.

O grande destaque mesmo fica com o elenco que faz um trabalho digno de todas as premiações recebidas (ou indicadas), contando aí o Oscar de melhor atriz coadjuvante para Mo´Nique (a mãe), com um atuação daquelas de deixar o espectador enfurecido. A atriz Gabourey Sidibe, por sua vez, está muito convincente no papel principal, fato este que fica bastante evidenciado quando vemos seus momentos de tristeza e angustia em contraste com seus utópicos sonhos. Isso sem contarmos ainda as participações especiais da assistente social Mariah Carey e do enfermeiro Lenny Kravitz que estão fantasticamente irreconhecíveis. E por último, não menos importante (clichê mode on), temos Paula Patton fazendo a professora da tal escola alternativa.

Com tantos acertos e contando ainda com uma história altamente pesada apresentada de forma magistral e bastante honesta, “Preciosa” realmente faz jus a todo falatório que o acompanha desde o ano passado quando foi lançado lá fora. Não vou dizer para você tratar logo de assistir pois, se você quer ir ao cinema se divertir, eu realmente não indico.

Mesmo que não vá mudar a cabeça de ninguém, garanto que você vai se sentir incomodado por se manter omisso socialmente, sabendo que tantas pessoas sofrem com problemas semelhantes (ou até piores) mundo afora, nem que seja por menos de 2 horas você irá refletir bastante e perceber que nem tudo o que lhe aflige ou incomoda pode ser considerado realmente um problema.

Preciosa – Uma História de Esperança (Precious, Drama: 2009/2010 – 110 min)
Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

15 Comments

  1. Gostei muito desse filme e achei que ele deveria ganhar o oscar por melhor atriz e melhor filme,sua historia tem muita consistência nos leva a uma refleção do modo de vida que levamos. Muito bom!!!

    Post a Reply
  2. Não sei se é pq eu me preparei psicologicamente, mas achei o filme menos pesado do que eu esperava. Mas mesmo assim, é pesado. A menina só se f*** o filme inteiro.

    O que achei interessante é a forma que ela utiliza para se blindar das malezas que se passam com ela. O rosto sem expressão da Precious é impressionante. Ficamos nos perguntando o que se passa naquela cabeça. Temos a impressão de que ela não sofre com aquilo ou que para ela o usual é a agressão.

    A mãe dela é provavelmente o personagem mais deplorável do cinema (a atriz disse que caia aos prantos a cada cena), Oscar merecidíssimo.

    O final do filme até que é otimista. Apesar de tudo e da falta de perspectivas, a menina seguiu sua vida.

    Post a Reply
    • Na verdade Frederico, o que quis dizer é que a história é que é pesada, o filme não precisou ser piegas ou exagerar no dramalhão para fazer ‘chocar’, e isso para mim foi um dos fatores que me fizeram gostar dele.

      Não vai mudar também a história do cinema e muito menos é um filme indispensável, mas é bastante acima da média.

      Abração

      Post a Reply
  3. Tava com muita vontade de assistir e depois de ver essa critica tenho que ir logo… Embora não seja chegada em filmes sobrecarregados no drama (Odeio chorar no cinema), acho que vou curtir pelo que vc dsse acima em relação ao inconformismo social e a percepção da dimensão real dos problemas.

    Post a Reply
  4. Vc resolveu encarar mesmo esse filme hein?
    Quem diria.
    eheheehhe

    Post a Reply
  5. Vi esse filme ano passado, sem saber de nada… ainda não tinha esse buzz todo nele…
    E que tapa na cara, essa expressão é perfeita pra definir o filme… fiquei “mal” depois de terminar de ver, com um peso na consciência, e tive que mostrar pra minha família… todo mundo aqui em casa chorou, hauhauahuhau.

    E Mariah Carey, quem diria eim? Depois de Glitter…

    Post a Reply
  6. Com certeza Preciosa é uma porrada de realidade e nos mostra aque apesar de tudo, tem gente que tem muito mais problemas que a gente !
    xD

    Post a Reply
  7. Para as mulhres, não assitam se estiverem na TPM. Eu assisti assim e e foi bastante insigesto.

    Post a Reply
  8. Mo´nique é espetacular! Aquela atriz precisa largar a comédia e fazer drama, pq em cena ela simplesmente humilha.

    Post a Reply
  9. Mentrei, não só a Mariah Carey está surpreendente como também Lenny Kravitz.

    Alan, é esse realmente o espírito do filme!

    Carol, por essa eu não esperava. E se for TPM modo raivoso e não modo sentimental?

    Rodrigo : agora eu posso dizer que o Oscar para ela foi merecido realmente.

    Post a Reply
  10. Engraçado que eu nem suspeitei que fosse Lenny Kravitz!! Irreconhecível mesmo.

    Alguém aí em cima disse tudo: a impressão que passa é que a violência é tão normal pra personagem, que ela não reage a nada…

    Post a Reply
  11. Não reconheci a Mariah nem o Lenny. Só quando subiu os créditos que eu vi os nomes deles.

    Rapaz, o filme é foda. a atuação da mãe de Preciosa é muito fóda. Realmente o filme mostra apenas um caso e nos faz refletir o que pode estar acontecendo nesse mundo.

    abrá.

    Post a Reply
  12. Uraí, Lenny realmente tá dificil de reconhecer agora a Mariah nem tanto.

    É um filme foda realmente, muito complicado de assistir e não fazer esta reflexão

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Missão Impossível 4 - Protocolo Fantasma | Porra, man! - [...] ele e sua equipe composta por Benji (Simon Pegg, “Star Trek”), Jane (Paula Patton, “Preciosa”) e Brandt (Jeremy Renner,…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.