Pandorum

 

Pandorum (Suspense, Ficção Científica: 2009/2010 – 108 min)

Dirigido por Christian Alvart com roteiro de Travis Milloye  Christian Alvart. Estrelando: Dennis Quaid, Ben Foster, Cam Gigandet, Antje Traue, Cung Le, Eddie Rouse e Norman Reedus.

A ficção científica de suspense ou terror esteve um pouco abandonada nos últimos anos. Desde “Alien – O Oitavo Passageiro” que pouca coisa digna de nota foi lançada. E é justamente no melhor estilo “Alien” que “Pandorum” começa, com uma atmosfera de cenas muito tensas e competentes. A parte ruim de tudo isso é a forma lamentável que o filme termina.

A trama segue a história de dois membros da tripulação de uma imensa nave espacial que despertam de um ‘hipersono’ sem lembranças do que estão fazendo ali. Não demora muito e eles descobrem que não estão sozinhos, estranhas criaturas parecem caçar as raras pessoas que ainda estão na nave. Em meio a luta pela sobrevivência, eles precisam ainda arrumar uma forma de reativar a energia da nave para chegarem ao seu destino, o planeta Tanis, novo destino dos humanos já que a terra está nas últimas.

A grande sacada do filme, pelo menos do início dele, é a tensão que ele proporciona. Com cenas escuras e cortes rápidos, conseguiram criar um atmosfera e uma linha narrativa bem interessante, ainda que não seja nenhuma novidade. Parte disso se deve as atuações bastante convicentes de Ben Foster (30 Dias de Noite) e Denis Quaid.

O grande problema de “Pandorum” fica mesmo com algumas passagens desnecessárias e, principalmente, o seu desfecho “eu quero ser” “Sunshine – Alerta Solar“. Ao sair da atmosfera simples mas bastante eficiente do início do filme, o diretor Christian Alvart acabou por querer colocar as mãos onde não conseguia alcançar, e o que ele conseguiu mesmocom isso foi estragar uma obra promissora.

O resultado de um ótimo início com um desfecho  decepcionante – me explique aquelas cenas de computação gráfica terríveis que vemos no final – só podia mesmo dar num filme regular, infelizmente. Longe de ser uma obra ruim a ser desprezada, eu diria que Pandorum é um filme quase bom, faltou apenas “viajarem” menos.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

17 Comments

  1. E o que foi aquela passagem toda com o cozinheiro?
    E o pequeno canibal?
    Vergonha alheia total!

    Diferente de você, achei o filme péssimo.
    Principalmente por ter destruido um começo tão maravilhoso e promissor. Hehehe.

    E, realmente, o final é de doer.

    Beijocas

    Post a Reply
  2. Pelo o que li, Pandorum tenta ser mais do aqueles filmes que ele copia, e acaba não sendo nada.

    Post a Reply
  3. É Cecília, realmente tem vários momentos trash e desnecessários como estes que você citou, mas eu realmente achei legal o iníco, bem tenso, por isso subiu um pouco no meu conceito hehehe

    Mateus, é isso aí. Se bem que a parte que ele tenta ser “Alien” é ate interessante, o que mata mesmo é o final e a solução de tudo.

    Em fim, assista por sua conta e risco hehehe

    []´s

    Post a Reply
  4. eu não fui muito com a cara desse filme não!

    Post a Reply
  5. Tenho no meu PC faz tempo, mas ainda não vi. Pretendo assisti-lo nos proximos dias, até pq me pareceu um bom filme.

    Post a Reply
  6. Eu baix… Digo, fui na locadora e aluguei legalmente esse filme.
    Tirando algumas cenas completamente desnecessárias (Como o cozinheiro, o tripulante do time 4, e etc) achei um bom filme. Especialmente o final (OK, por final me refiro à história, e não pela qualidade do 3D).
    Pior seria se eu passasse 2 horas vendo esse filme, pra no final todos morrerem, e ficar por isso mesmo.

    Post a Reply
  7. Fernando, eu achei o filme quase bom.

    Tava curtindo mais quando eram so as cenas escuras e aquelas “criaturas” “caçando” eles.

    Depois que virou filosofia e não sei o que, o filme desandou. Mas realmente não é ruim!

    []´s

    Post a Reply
  8. Nem me atrevo a assistir esse.

    Post a Reply
  9. Eu achei o filme excelente, inclusive por seu desfecho. Gosto quando acaba tudo bem e achei interessante a explicação dos eventos.

    SPOILER – Concordo com Fernando. Detesto estes filmes que fazem você passar pelo diabo para no fim matar todo mundo. Só vale a pena quando é por algum motivo concreto, como em A Ilha do Medo ou Sunshine.

    Post a Reply
  10. O meu maior problema com Pandorum não é nem o fim, mas sim algumas coisas desncessárias, personagens ridículos e tramas paralelas que nada acrescentam ao filme.

    Se tivesse terminado simples como começou seria melhor, por isso que eu achei um filme “quase bom”.

    []´s

    Post a Reply
  11. Caro leitor se assistiu pandora deve estar decepecionado começa bem acaba mau,sem muita tecnologia futura,armas,imagina se a nave caise ?E lutas mais justas entre humanos ai sim seria um bom filme queria meu dinheiro da locação de volta que pena que não da.

    Post a Reply
  12. O cozinheiro canibal saber tanto, forçou a barra; mas o final com a passagem dos seculos é bem interessante e nem acho que o efeitos ficariam muito melhores, são limitações da tecnologia de computação.O Lucas fez igual e até pior nos ultimos Star Wars.

    Post a Reply
  13. A única razão de eu ter assistido foi a presença de Cung Le, melhor ator que o loirinho chato, falando quase nada. Mas porque raios o diretor tem de cocozar tudo? Vacilo pô, ele sozinho acabaria com geral ali, haha

    Post a Reply
  14. Assisti somente hj, engraçado foi o meu “Pretendo assisti-lo nos proximos dias” ali em cima rs.

    Discordo da crítica e acho o filme acima da média, com alguns defeitos, é claro, mas com uma história bacana, um bom suspense e um final digno. Curti!

    Post a Reply
  15. No final da trama, o significado de “Pandorum” causou total estranheza pra mim, pois ele não tem importância nenhuma na história do filme. O filme estaria por si completado e sem nenhum buraco mesmo se tal doença mental (o verdadeiro significado de “Pandorum”) que atingiu os tripulantes da nave não existisse.

    Post a Reply
    • Por essas e por outras coisas que acabei me decepcionando, um pouco, com “Pandorum”. Tinha tudo pra ser melhor do que foi.

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>