Educação (An Education)

Educação (An Education, Drama: 2009/2010 – 95 min)

Dirigido por Lone Scherfig com roteiro de Nick Hornby. Estrelando: Peter Sarsgaard, Carey Mulligan, Alfred Molina, Rosamund Pike, Olívia Williams, Dominic Cooper,  Sally Hawkins e Emma Thompson.

 

Lançado ano passado lá fora o filme “Educação (An Education)” chegou este ano em tupiland com o aval das 3 indicações ao Oscar, fora outras inúmeras indicações em diversas premiações do cinema mundo afora. Fui conferir o filme sem criar muitas expectativas, mas claro, saberia que no mínimo teria algo interessante a ver pela frente. Sem dúvidas é um belo filme, com atuações bastante inspiradas mas, sinceramente, não vi o porquê de tanto alarde.

Ambientado no início da década de 60, a trama segue a história da jovem Jenny (Carey Mulligan), estudante exemplar e de excelentes notas. Seus pais insistem que o melhor para ela é continuar com as boas notas e se dedicar bastante para conseguir ingressar na Universidade de Oxford, onde lá irá encontrará um bom futuro. Certo dia ela acaba conhecendo um rapaz bem mais velho (Peter Sarsgaard) e acaba se apaixonando por ele. O grande dilema em sua vida é continuar o efandonho trabalho de se dedicar nos estudos ou vivê-la viajando, conhecendo lugares e tudo mais o que ela tem direito com o rapaz.

Não que seja necessário todos os filmes se reinventarem ou terem saídas mirabolantes, mas aqui temos uma história normal, já explorada diversas vezes por outros vários filmes. Apesar de simples, a levada do filme é muito boa, e indicada mesmo para quem gosta de assistir dramas não muito carregados.

O grande trunfo de “Educação” está mesmo no elenco, a jovem Carey Mulligan foi indicada a melhor atriz no Oscar e levou prêmios como o BAFTA, e realmente ela está bem confortável no papel de uma jovem colegial de 16 anos, deslumbrada com o que a vida pode lhe oferecer. Não menos importante temos uma atuação muito convincente de Peter Sarsgaard (A Orfã, Soldado Anônimo), altamente sedutor e cheio das “artimanhas”. Alfred Molina (O Dr. Octopus do Homem-Aranha 2) tem momentos até hilários. O restante do elenco também faz um belo trabalho.

Ficar divagando sobre as mensagens e insinuações que algumas cenas nos mostram talvez seria perda de tempo, “Educação” nada mais é que um belo filme. Todas estas premiações e falatórios em torno desta obra acabaram não significando muita coisa para mim, já que não vi nada de extraordinário.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

6 Comments

  1. Carey Mulligan é demais, perfeita! Fora isso, a história é bem legal, interesssante e tal, mas acaba caindo na vala comum. Não que isso estrague tudo, mas deixa um pouco a desejar.

    Post a Reply
  2. Filme dispensável. Roteiro decepcionante de Nick Hornby. A temática superada de uma jovem colegial que se envolve com homem mais velho e não sabe se vira dona-de-casa ou se estuda em Oxford e se torna mulher independente. A atuação da Carey Mulligan só pode ser comparada à Audrey Hepburn, pois ela imita os trejeitos e figurinos da atriz. Entendo como uma homenagem.

    Post a Reply
  3. Eu sei que não tem nada de demais, isso eu sei desde o primeiro momento que ouvi falar sobre o filme, mas mesmo assim estou com muita vontade de ver esse filme, só não me pergunte o “porquê” !
    hehehehe

    Post a Reply
  4. Não tem nada de extraordinário mais é um belo filme Alan, vale a pena assistí-lo sem dúvidas

    []´s

    Post a Reply
  5. Concordo com o brother lá de cima. O roteiro é decepcionante msmo, esperava morrer de amores pelo filme, mas o roteiro n deixou. hehe. Fora isso, o filme é msmo bonito plasticamente.

    Post a Reply
  6. Bonito filme, atriz principal competente, glamurosa e carismática, namorado mais velho e pai e mãe bem vivenciados pelos atores. Visão de época interessante da diretora sobre o que seria a mulher dos anos 70: estudiosa e à procura de alguma carreira ou pronta ao casamento largando da educação formal. Final diferente e instigante, nos deixa pensando sobre valores de novos e velhos e – sobretudo – sobre arraigadas práticas de estudo formal não agradáveis ou o mundo como é, cheio de aventuras e novos rumos, porém desvencilhado desta formalidade. A ser visto e revisto.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Drive - Um Herói de Verdade? | Porra, man! - [...] ele (Ryan Gosling, “A Garota Ideal”) acaba se apaixonando por sua vizinha (Carey Mulligan, “Educação”) que é casada e…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.