Feliz Natal

Feliz Natal (Drama: 2008 – 100 min)

Dirigido por Selton Mello com roteiro por Selton Mello e Marcelo Vindicato. Estrelando: Leonardo Medeiros, Darlene Glória, Graziella Moretto, Lúcio Mauro, Paulo Guarnieri e Fabricio Reis.

Com uma passagem relativamente curta pelos cinemas no final do ano de 2008, acabei não conseguindo conferir a estréia de Selton Mello (A Mulher Invisível, O Cheiro do Ralo) como diretor e roteirista. A curiosidade em conferir o trabalho de um ator que sou fã sempre existiu e “Feliz Natal” se mostrou como um projeto um tanto quanto chato e difícil de se assistir, ao menos para mim.

A trama segue a vida de Caio (Leonardo Medeiros, Budapeste), um sujeito no alto dos seus 40 anos que trabalha em um ferro-velho no interior. Ele decide retornar a capital na festa de Natal onde visita seu irmão, que por sua vez tem problemas com a esposa. Lá estão também sua mãe totalmente dependente do álcool e remédios e também seu pai (separado e se gabando por estar com uma mulher mais jovem) que não lhe dá nenhuma atenção.

Caio ainda volta para reencontrar velhos amigos e acaba se lembrando da vida totalmente inconsequente que levava. A mistura de dramas pessoais de todos os personagens que vão sendo afetados (e afetam também) Caio são apresentadas de forma bastante vagarosa, o que acaba por ser um trabalho árduo de paciência para quem não se identifica com obras deste tipo.

Que me desculpem os críticos e entendidos de cinema mas, para mim, ficar analisando metáforas e planos de sequência ou mensagens nas entrelinhas nem sempre é divertido. Selton Mello me pareceu querer fazer um filme para mostrar que entende de cinema e é um sujeito muito “maduro“. Como um simples apreciador que comenta filmes de forma ‘amadora’, “Feliz Natal” me proporcionou 100 minutos de tédio.

Se tiver que apontar o que me agradou nesta obra posso dizer que foi o elenco. Leonardo Medeiros consegue mostrar muita maturidade em fazer uma pessoa sofrida pelos dramas e consequências de seus atos de forma bastante convincente. O restante do elenco também demonstra ter entendido o que Selton Mello desejava retirar deles.

Ainda que tenha recebido boas indicações da crítica mais especializada, este primeiro trabalho de Selton Mello como diretor e roteirista não me agradou muito. Talvez eu é que não esteja preparado para ficar analisando balançar de cortinas, câmeras focando diálogos a centimetros de distância (que me causaram na verdade um agonia tremenda) ou até mesmo metáforas escondidas. E, de fato, prefiro mesmo é continuar despreparado para idolatrar filmes chatos como “Feliz Natal“.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

9 Comments

  1. E vc não é crítico de cinema não é?
    ehehheheehhe
    Não lembro de ter lido críticas positivas desse filme quando passou nos cinemas não.
    Mesmo assim ainda tenho curiosidade de ver.

    Post a Reply
    • Sou crítico de cinema não man, falta muito estudo e dedicação para isso 🙂

      E quanto as criticas positivas, se você pesquisar no Google vai encontrar um monte de gente gostando, eu achei chatíssimo e metido a filme “cult”

      Post a Reply
  2. Porra man!! tu dá nota máxima por um filme pastelão como Zumbilandia, pode ser engraçado porém absorve e propõe muito pouco do realmente o cinema é, e o filme de Selton que por mais chato que seja, é um enorme passo para o cinema nacional……….e para o próprio Selton, que além de um ótimo ator, agora demonstra jeito como diretor…..faltando amadurecimento que com o tempo será ganho…..
    Eu acesso sempre o site para pesquisar e ver criticas de filmes, porém já que as analises são pessoais e não de conteudo cinematografico, demonstro aqui minha insatisfação…….
    Acho que você deveria rever os conceitos do que é diversão, opinião pessoal e cinema de fato………
    mas, porra man……..continuo gostando do site……é apenas uma critica construtiva…..

    Post a Reply
  3. É um filme difícil, é verdade, mas é uma belíssima investigação de relações familiares. Vi no cinema, na curta temporada baiana, e me agradou bastante.

    Post a Reply
  4. Grande Selton :), não fui o único que colocou Zombieland acima de Feliz Natal, pode acreditar.

    Não vejo problema algum em uma comédia ficar acima de dramas como este, ou qualquer um outro.

    No final das contas é tudo questão de gosto mesmo, e aqui no blog as resenhas realmente tem um pouco de ar pessoal, afinal é justamente a proposta do blog, fugir das críticas especializadas e falar algo próximo do que as pessoas “normais” sentem ao ver os filmes.

    Quanto a crítica construtiva aceito sempre de bom grado e os comentários estão aí justamente para isto 🙂

    Rodrigo, não consegui apreciar tanto assim, achei mesmo um filme bem chato. Os valores estão lá, mas não me agradou a forma como tudo foi realizado.

    Post a Reply
  5. Tá importante, até Selton Melo aparecendo por aqui!

    Post a Reply
  6. Filmes densos/cults/”maduros” podem ser legais, seu Marcio. Não sei se eh o caso deste, é claro. Fiquei curiosa pra ver o filme. Vamo ver se eu discordo de vc dessa vez.

    Post a Reply
    • Eu sei que filmes cults podem ser bons e gosto de muitos, mas esse é meio chatinho.

      Assista e comente aqui depois 🙂

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Palhaço | Porra, man! | Porra, man! - [...] trouxe o espírito da vida circense para o seu segundo filme como diretor  – o primeiro, “Feliz Natal”, não…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.