O Dia Em Que a Terra Parou (The Day The Earth Stood Still)

O Dia Em Que a Terra Parou (The Day The Earth Stood Still, 2008/2009 – 103 min)

Direção: Scott Derrickson
Roteiro: David Scarpa, Edmund H. North (1951)
Elenco: Keanu Reeves, Jennifer Connelly, John Cleese, Jaden Smith, Kathy Bates, Robert Knepper, Jon Hamm, James Hong
Gênero: Ficção Científica.

 

Sinopse: Um alienígena chega a Terra e alerta que o planeta pode ser destruído. Refilmagem do clássico de 1951.

 

Remakes às vezes só servem para destruir algum clássico. É uma pena, mas eu nunca vi o original “O Dia em Que a Terra Parou” de 1951, portanto, não posso comparar com este ‘novo’ lançado lá fora em 2008 e que só apareceu aqui no início de 2009. Meu interesse pelo filme sempre foi baixo, entretanto, quando estava sem nada melhor para fazer, acabei vendo ele na minha tv por assinatura, e quer saber? É totalmente dispensável este filme.

A refilmagem manteve o ‘espírito’ do filme original, só que aqui ao invés de pedir o fim da guerra entre os homens, o alien Klaatu (Keanu Reeves) chega para salvar o planeta terra, mas salvar dos humanos que o estão destruindo. O tema ecológico não soa tão piegas, o problema mesmo está no ritmo lento e totalmente sem graça, dá até sono.

Para os que reclamam do ator Keanu Reeves (Os Reis das Ruas) aqui ele está perfeito, e não é porque aprendeu a atuar convincentement não, mas sim por ter escolhido um papel perfeito para sua falta de expressão facial ou de demonstração de sentimentos, afinal era justamente isto que o seu personagem precisava demonstrar, já que ele, apesar de estar num corpo humano, não é um de nós. No elenco ainda temos a atriz Jennifer Connelly interpretando uma cientista que precisa convencê-lo a desistir do plano e o filho de Will Smith, Jaden Smith, um completo zero a esquerda.

Ficar aqui delongando sobre esta obra não vai me levar a lugar nenhum, muito menos você caro leitor, só precisa mesmo saber que trata-se de uma ficção científica monótona e sem graça. Os atores não transmitem carisma, a trama é até pertinente, mas o ritmo é muito desinteressante. O resultado é apenas mais um filme fraquinho, daqueles candidatíssimos a aborratar as preteleiras de DVDs promocionais das lojas.

 

Um alienígena chega a Terra para pedir paz e alerta que o planeta pode ser destruído. Refilmagem do clássico de 1951.
Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

7 Comments

  1. Acredite: eu achei este filme muito bom!

    Até pela mensagem reflexiva que ele nos proporciona.

    E mais, eu não esperava nada, acho que por isso que ele foi mais além.

    Eu gosto do Keanu Reeves, sua atuação em filmes como Advogado do diabo foi evidente e perfeita.

    Jennifer Connelly sempre é intensa, por isso cativa!

    abraço

    Post a Reply
  2. Cristiano, eu realmente achei o filme tedioso, parece que nada acontece.

    De bom mesmo, só o momento de reflexão hehehe

    Abração

    Post a Reply
  3. Márcio mas uma vez me salvando das pragas lançadas nos cinemas
    kkkkkkkkk pelo trailer já tinha achado tedioso.
    Que venha Sherlok Holmes tô ansiosaço pra assistir esse filme.

    Post a Reply
  4. Também não me interessei pelo filme. O Keanu realmente tem uma presença muito inexpressiva. E pensar que ele vai atuar como Spike na adaptação de um dos melhores animes já lançados: Cowboy Bebop. Só me restar esperar que uma luz ilumine ele e que sua atuação surpreenda.

    Post a Reply
  5. Não tenho tanta birra com o Keanu Reeves não, mas é um fato essa inexpressividade dele em alguns trabalhos hehehe.

    Gosto muito de 2 filmes que ele fez, Matrix é claro e também “Caçadores de Emoção”, um filme de vampiros surfistas!

    Post a Reply
  6. por incrivel que pareça eu godtei desse filme!
    o filme é +ou – , mais a menssagem que o filme quer passar é boa!

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.