Amor Sem Escalas (Up In The Air, 2009/2010 – 109 min)

Direção: Jason Reitman
Roteiro: Jason Reitman e Sheldon Turner
Elenco: George Clooney, Anna Kendrick, Vera Farmiga
Gênero: Drama, Romance

 

Sinopse: Ryan Bigham é um especialista em redução de pessoal corporativo cuja adorada vida repleta de viagens é ameaçada justamente quando ele está perto de atingir dez milhões de milhas como viajante frequente e logo depois que ele conhece a mulher de seus sonhos, que também é viajante frequente.

 

Desde ano passado, quando o filme foi lançado lá fora, que “Amor Sem Escalas (Up in the Air)” vinha sendo alerdeado como um novo ‘clássico’ do cinema, angariando diversas indicações e premiações festivais afora. Parte das apostas de que esta seria sim uma grande obra estavam lançadas devido a Jason Reitman, que já tinha mostrado que sabia das coisas com o ótimo “Obrigado por Fumar” e também com o tão badalado “Juno“.

A trama aqui gira em torno de Ryan Bigham (George Clooney) que é um especialista em ‘demissões’ corporativas, contratado pelas grandes corporações para ‘desligar’ o pessoal e também mostrar a eles (como uma forma de consolo digamos assim), que o mundo não acabou e existem grandes opções para melhorar seu futuro.

Na sua vida acabam entrando duas mulheres, Natalie (Anna Kendrick), uma novata que tenta difundir uma idéia de demissões por videoconferência para redução de custos com viagens, e também a bela Alex (Vera Farmiga, “A Orfã“), que tem um estilo de ser bem parecido com o de Ryan e acaba fisgando o rapaz com alguns encontros calorosos.

E o melhor de “Amor Sem Escalas” é que, de todos os vários desfechos um tanto quanto óbvios que me vinham à mente quando estava  o assistindo, nenhum deles se concretizou na tela, deixando espaço para um final brilhante, um trabalho realmente primoroso, tanto na direção, roteiro e também no elenco, que tem a frente o galã George Clooney, que tem feito belíssimos trabalhos ultimamente como “Conduta de Risco” ou ainda o divertidíssimo “Queime Depois de Ler“.

Outro grande destaque no elenco está na jovem Anna Kendrick, que dá um show de interpretação fazendo uma personagem muito carismática e em certos pontos bem divertida.

E essa mescla de boa história, daquelas que lhe deixam refletindo por muito tempo depois de seu final, com um trabalho muito bom no elenco só podia mesmo resultar num grande filme. Claro, o terrível título nacional “Amor Sem Escalas“, que nos remete àquelas insossas comédias românticas pode enganar muita gente. Não se trata aqui de um filme fechadinho e bem mastigado,  e sim de uma obra para quem espera um algo a mais quando entra numa sala de cinema.

 

Related Posts with Thumbnails