codigo-de-conduta-poster


Código de Conduta
(Law Abiding Citizen, 2009 108 min)
Direção: F. Gary Gray
Roteiro: Kurt Wimmer
Elenco: Jamie Foxx, Gerard Butler, Colm Meaney, Bruce McGil, Leslie Bibb, Michael Irby
Gênero: Ação, Suspense.

Sinopse: Clyde é um pai de família que testemunha sua esposa e filha serem assassinadas. Um dos culpados ganha liberdade graças a um acordo feito com o ambicioso promotor Nick. Anos depois o assassino é encontrado morto e Clyde é preso mesmo sem provas contra ele. Seu unico objetivo, é denunciar o corrupto sistema judicial nem que para isso tenha que matar um a um, todos os envolvidos.

Gosto de filmes que envolvem ação, política e disputas judiciais, e foi por isso que fui conferir “Código de Conduta (Law Abiding Citizen)“. E aqui temos mais um exemplo de obras que, com o passar do tempo, não irão deixar nenhuma marca simplesmente pela falta de coragem (ou talvez qualidade de roteiro e direção) em terminar da mesma forma que começou, levantando um debate franco e aberto sobre o ineficaz sistema de segurança e justiça que diz nos proteger (a trama é nos Estados Unidos mas vale para qualquer lugar do mundo).

Clyde (Gerard Butler, A Verdade Nua e Crua) testemunha sua esposa e filha serem assassinadas por dois bandidos. Um dos culpados acaba pegando uma branda pena, de apenas 5 anos, após um acordo feito por um promotor público chamado Nick (Jamie Foxx, Dreamgirls). Clyde, logicamente, fica injuriado e após 10 anos arma uma vingança contra todos que ‘participaram’ (direta ou indiretamente) desta injustiça.

Jamie Foxx e Gerard Butler num duelo de ideiais

Jamie Foxx e Gerard Butler num duelo de ideais

Não estamos falando de um filme lá muito original, já que diversas passagens lembram filmes como “Seven – Os 7 Pecados Capitais” ou “Um Crime de Mestre“. Temos ainda cenas dignas de “Jogos Mortais“. Mas ao contrário do que possa parecer, ficaram bem interessantes e muito legais, principalmente o primeiro sujeito a ser vingado nas mãos de Clyde. No final, para os amantes de Prison Break, uma lembrança vem à tona também.

Ao invés de seguir o debate inicial, justiça e segurança pública x vingança com as prórpias mãos, o diretor e o roteirista prefiriram arrumar uma saída mais fácil e pouco verossímil. O que começa como um filme reflexivo e que dosa bem suspense e ação, misturando mocinhos e bandidos, termina da mesma forma de qualquer filme de ação hollywoodiano, com pirotecnias. Não me surpreenderia nem um pouco se no fim caísse uma bomba atômica e matasse todo mundo.

Lamentavelmente “Código de Conduta” merecia cair na mão de pessoas mais preparadas, que tivessem coragem de terminar tudo como começou e não com saídas fáceis, parece que ficaram ‘em cima do muro’ na hora de responder tudo. Como filme de ação e suspense é muito bom, mas no geral achei apenas regular, afinal, não adianta começar bem e terminar de ‘qualquer jeito’ explodindo coisas, não é assim que se faz um bom filme.

Related Posts with Thumbnails