Estômago (Brasil, Itália 2007) – 113 min.

Direção: Marcos Jorge.
Roteiro: Marcos Jorge, Lusa Silvestre, Cláudia da Natividade e Fabrizio Donvito.
Elenco: João Miguel, Fabiula Nascimento, Babu Santana, Carlo Briani, Zeca Cenovicz.
Gênero: Comédia.

Sinopse: Raimundo Nonato (João Miguel) acaba de chegar a São Paulo vindo do Nordeste. Ele não tem dinheiro algum, muito menos lugar para ficar. Quando consegue um trabalho informal num boteco, começa a mostrar sua verdadeira aptidão: a culinária. Sua coxinha logo faz sucesso e sua reputação faz com que consiga um trabalho num restaurante italiano. Ele se apaixona por Iria (Fabiula Nascimento), uma prostituta que adora comer. Paralelamente, também acompanhamos seu dia-a-dia na prisão, onde Nonato é preso por um crime não-explicado – pelo menos em grande parte do filme. Lá, seus dotes culinários fazem com que seu espaço cresça cada vez mais.

Depois de levar 4 prêmios no festival de cinema do Rio em 2007 (entre eles o de melhor filme) e ter tido uma rápida e meteórica passagem nos cinemas, fiquei curiosíssimo para ver “Estômago“. Fui ao cinema assistir a outro filme e me deparei com ele sendo exibido, não pensei duas vezes. Com uma atuação sensacional de João Miguel, que já tinha roubado a cena no filme “Cinema, Aspirinas e Urubus” o resultado é uma excelente e divertídissima comédia, com leves pitadas de dramas para dar um gosto a mais na receita.

João Miguel interpreta Raimundo Nonato, um nordestino (paraibano) que deixou sua terra e veio para São Paulo sem ter onde cair morto. Logo que consegue um emprego em um boteco de quinta categoria, seus dotes culinários mostram o enorme talento que ele possui para a gastronomia. Rapidamente Nonato é convidado a trabalhar em um restaurante ‘chique’ italiano e nesse momento ainda acaba conhecendo e se apaixonando por uma prostituta, Íria (Fabíola Nascimento).

Paralelamente o filme vai mostrando sua vida na prisão, onde ele acaba fazendo a refeição dos presidiários de sua cela e vai ganhando renome e respeito na cadeia. Vamos caminhando nesse jogo de flashbacks e ficamos a todo momento querendo saber como afinal ele foi parar na prisão. Algumas passagens são muito engraçadas e toda a ‘filosofia de vida’ e forma como Raimundo Nonato vê, encara e define as coisas é muito genial e divertido.

A trama é muito engraçada e alguns momentos são bastante hilários, ainda sim, existe espaço também para um pouco de drama. A história não é nada de outro mundo, é simples e lhe prende do início ao fim. Sem contar ainda que João Miguel é um dos melhores atores dessa sua geração, sem somba de dúvidas. Fato compravado por ter levado o prêmio de melhor ator no Festival do Rio 2007 com sua atuação neste filme. O elenco faz um bom trabalho e temos ainda uma participação bacana do vocalista do Titãs Paulo Miklos.

Sem sombra de dúvidas vale a pena conferir “Estômago”, seja pela boa e divertidíssima história, seja pelo excelente trabalho de João Miguel. O filme prende sua atenção do início ao fim e se não chega a ser nota “10”, chega bem perto disso, por isso acabei aproximando e dando nota máxima. Me diverti demais e de longe é o melhor filme nacional que vi este ano, uma pena que foi lançado ano passado e não vou poder colocar no meu top 10 final do ano.

Related Posts with Thumbnails