Max Payne

Max Payne (2008) – 100 min.

Direção: John Moore.
Roteiro: Beau Thorne, Sam Lake (jogo).
Elenco: Mark Wahlberg, Mila Kunis, Beau Bridges, Ludacris, Chris O’Donnell, Amaury Nolasco, Olga Kurylenko.
Gênero: Ação, Policial.

Sinopse: Max Payne (Mark Wahlberg) é um policial atormentado pela perda trágica de sua família. Paralelamente, ele investiga uma série de assassinatos misteriosos. Seu mentor, B.B. Hensley (Beau Bridges), o ajuda a capturar os responsáveis pela morte de seus familiares.

Já se tornou clichê falar mal de adaptação de games para o cinema, sempre que um novo filme deste tipo é lançado todos já ficam com um pé atrás. Max Payne lamentavelmente, apesar de ter tido um trabalho muito bonito tecnicamente, não conseguiu fugir a regra. Um roteiro fraco, trama tediosa, personagens e atores sem empatia alguma e no final das contas apenas uma perda de tempo. Não consigo conceber a idéia de um filme de ação (policial também eu sei) que dá sono, por pior que seja a história acho isso inadimissível.

Baseado num dos melhores games que já joguei (e zerei!), Max Payne traz a história de um policial que teve sua mulher e filho assassinados de forma trágica e tenta a todo custo procurar os responsáveis. Tanto no game quanto no filme – que até manteve algumas coisas bem semelhantes – vemos tudo indo de encontro a um grande conspiração em torno de uma droga sintética que deixa os usuários bem alucinados.

O jogo fez muito sucesso por utilizar bem o recurso de “bullet time” e ter muita ação, tiros e interação com o jogador. O filme não nos traz muito disso, além de algumas cenas em câmera lenta – que de tão lenta nos deixa ver como a mira dos vilões deste tipo de filme é ruim – e algumas localizações bem fieis ao game. A cena inicial do metrô é uma cópia perfeita, e é também no início do filme o único momento de ação mesmo, depois disso somos levados a uma jornada tediosa de quase 1 hora.

A trama de tão fraca deixa tudo bastante claro em poucos minutos e não é preciso se esforçar muito para descobrir o vilão, a história e tudo mais. Fora isso Mark Wahlberg não transmite muito carisma, os personagens coadjuvantes também são muito fracos e você em nenhum momento se importa com a história. Temos muitos personagens interpretados por atores de seriados (Prison Break, Heroes) que nem vale a pena citar. Fora isso tem a participação da “Bond Girl Olga Kurylenko que é praticamente dispensável, fora o vestidinho que ela usa (já estou imaginando o tapa em ‘bullet time’ que vou levar em casa). Outra coisa difícil de engolir é a ‘parceira’ de Max Payne interpretada pela Mila Kunis (Ressaca de Amor), sintonia zero entre os dois.

Apesar de termos um trabalho técnico bonito com algumas cenas inovadoras e fiéis ao game, o filme é ruim demais para ser recomendado, tanto para fãs de filmes policiais e de ação, quanto para os fãs do game. A trama tediosa, a história fraquíssima e as atuações que beiram ao ridículo fazem de Max Payne um dos piores filmes que vi esse ano. Não perca seu tempo com essa historinha ridícula, vá atrás do game e saia atirando em tudo que se mexer que você irá se divertir muito mais.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

9 Comments

  1. Tedioso? Depois de ver Os Estranhos hoje de manhã eu achei que Max Payne foi uma obra prima do cinema de ação.

    O filme pode não ser perfeito, mas tem seus momentos. Também simpatizo muito com Marky Mark e por isso devo ter gostado mais do filme.

    Sobre o vestido de Olga Nãoseiquelenko me lembrou muito o que ela usava em Hitman. Engraçado que sempre que querem uma mulher com cara de biscate de esquina chamam ela (Hitman, 007 e MP). Melhor ela mudar o foco da cerreira.

    Das adaptações de games, com certeza esta não foi das piores. Dos filme do ano então nem se fala

    Post a Reply
  2. Vc foi ver esse filme man?
    Se tivesse rolado de grátis na pré-estréia eu até iria.
    Mas pagar pra ver é sacanagem.
    ehhehehehehehe

    Post a Reply
  3. Carla e meu cunhado ganharam no salada cultural, fomos na pré-estréia ‘free’, eu tb nao pagaria para ver!

    Post a Reply
  4. Poxa Dmitry eu e várias pessoas demos umas cochiladas no filme, ação mesmo so no final mas é tudo muito fraco, a história os personagens, chatissimo.

    Teve gente que dormiu mais da metade do filme lá no cinema, isso é filme de ação? hehehe

    Para mim foi muito ruim, só não foi pior porquê fui de graça ver na pré-estréia!

    Rodrigo, Max Payne “1” é sensacional, eu ainda tinha a versão em português!

    Post a Reply
  5. O pior disso tudo é que eu botava fé nesse filme. Já estava até apostando que esse seria um dos primeiros filmes adaptados dos games (ou livros) que estaria bastante fiel e empolgando… Me enganei. =D

    Post a Reply
  6. max payne é muito loko, talvez eu ache isso pq eu assisti babel entes de assisti-lo

    Post a Reply
  7. o filme realmente deixou a desejar!!!
    mais num achei ruim…dá pra assisti!!!

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Marcio via Rec6 - Max Payne mais uma adaptação dos games para ser esquecida... Já se tornou clichê falar mal de adaptação de…
  2. Top 10 Piores Adaptações de Games para o Cinema | Porra, man! - [...] Max Payne [...]
  3. >Resident ‘Slow Mottion’ Evil 4 – Recomeço | cinemosaico - [...] as cenas de luta que chega a ser irritante, como se o diretor ligasse o bullet time (bem ao…
  4. Cinemosaico » Resident Evil 4: Recomeço (Resident Evil: Afterlife) - [...] as cenas de luta que chega a ser irritante, como se o diretor ligasse o bullet time (bem ao…
  5. Oblivion | Porra, man! - [...] com Cruise a maior parte do tempo também está bem em seu papel. Já a bela Olga Kurylenko (“Max…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.