A Outra (The Other Boleyn Girl)

Direção: Justin Chadwick.
Roteiro: Peter Morgan, Philippa Gregory.
Elenco: Natalie Portman, Scarlett Johansson, Eric Bana, Jim Sturgess, Mark Rylance, Kristin Scott Thomas, David Morrissey, Ana Torrent.
Ano: 2008.
Gênero: Drama.
Tempo: 115 min.

Sinopse: Na Inglaterra do século 16, duas irmãs, Mary (Scarlett Johansson) e Anne Boleyn (Natalie Portman), influenciadas pelo pai, que deseja status social e político para sua família, disputal o posto de amante do Rei Henrique VIII (Eric Bana).

A história do período da inglaterra em que o Rei Henrique VII ‘quebrou‘ as correntes com a igreja católica, fundou a igreja anglicana e tudo isso por causa de uma plebéia que se tornou rainha, sempre despertou interesse. É realmente uma história muito fascinante que no filme “A Outra (The Other Boylen Girl)” vemos com um foco maior nas irmãs “Bolena“, Ana e Maria.

Focando um pouco menos na história e basicamente ampliando os detalhes entre Ana Bolena (Natalie Portman), Maria Bolena (Scarlett Johansson) e no rei Enrique VII (Eric Bana), a trama se sustenta apenas na beleza das personagens e no vaivém sem fim de escândalos e jogo de interesses que rondavam a corte do século 16 na inglaterra.

Outro dia assisti os episódios iniciais da série “The Tudors” que também se baseia nessa história, e o pouco que vi me pareceu mais interessante do que foi apresentado em “A Outra“, que no final das contas é apenas regular. A mensagem que ele deixou para mim foi apenas que o rei Enrique VII era um imbecil, facilmanete manipulado pela Ana Bolena e que acabou dividindo seu país, gerando algumas revoltas pelas suas escolhas. Sem dúvidas marcou a história da inglaterra. A irmã mais nova de Ana, Maria Bolena, teve um destaque maior no filme do que nos livros de história.

Nem mesmo a presença das duas belas atrizes no filme é capaz de manter o interesse na trama, e olhe que como falei no início é uma história bastante interessante, pelo menos para mim. Apesar de todo o furor mundial com a beleza de Scarlet, fica parecendo no filme que Natalie Portman está lhe dando uma aula de atuação. Eric Bana mais parece aquela famosa escultura do pensador, sempre com a mão no queixo e pensando nas besteiras que está fazendo.

Ao término eu nem sei lhes dizer o que ficou, acho que praticamente nada. Um filme paradão, com vários vaivéns e que o melhor mesmo é a história original em que ele se baseia. Uma pena que tenham ignorado as melhores partes dela. O filme é apenas regular, poderia ter sido melhor e não sei se vale o seu tempo, o meu não valeu muito.

Related Posts with Thumbnails