Os Desafinados

Os Desafinados

Direção: Walter Lima Jr.
Roteiro: Walter Lima Jr., Elena Soarez, Suzana Macedo.
Elenco: Rodrigo Santoro, Cláudia Abreu, Selton Mello, Ângelo Paes Leme, Alessandra Negrini, Jair Oliveira, Ângelo Paes Leme, André Moraes, Michel Bercovitch, Vanessa Gerbelli
Ano: 2006/2008.
Gênero: Drama.
Tempo: 128 min.

Sinopse: Nos agitados anos de 1960, em meio ao conturbado processo político do Brasil, cinco amigos músicos formam uma banda chamada ”Os Desafinados” e vão para Nova York, com o sonho de tocar no Carnegie Hall. Lá, conhecem a filha de um brasileiro com uma americana, que se junta ao grupo. Começa a crescer aí o movimento Bossa Nova.

Me afeiçoei ao filme “Os Desafinados” de Walter Lima Jr ao ver o trailer. Com um elenco muito bom e ainda falando de Bossa Nova me interessei e tratei de ir conferir nos cinemas. Saí um pouco decepcionado pois o filme tem mais erros e chatisses do que acertos e grandes momentos. O fato é que Selton Mello é sensacional, as musicas no filme são muito boas, mas o restante acabou jogando tudo pra baixo.

O filme fala um pouco sobre a história da bossa nova nos apresentando a uma banda fictícia (Os Desafinados) formada por Joaquim (Rodrigo Santoro), Davi (Ângelo Paes Leme), Geraldo (Jair Oliveira) e PC (André Moraes). Eles estão lutando para fazer sucesso. Com a companhia de seu grande amigo e cineasta Dico (Selton Mello), eles decidem viajar por conta própria a Nova York. Lá Joaquim conhece Glória (Cláudia Abreu), por quem ele se apaixona loucamente, e lá eles se instalam.

Os momentos mais divertidos e geniais sem dúvida são os que Selton Mello participa. Rodrigo Santoro e até ‘Jairizinho‘ têm um ótimo destaque. Claudia Abreu também está muito bem, apesar de na hora das canções ela ser dublada, o que não chega a ser nada demais. Ruim mesmo são os pontos do filme em que vemos os personagens mais velhos. Existe um vai e vem de passado e presente que quando você vê o Dico “idoso” interpretado por um ator e dublado por Selton Mello, porra man, é triste.

Não consegui levar a sério quase nenhum momento em que eles “idosos” surgiam. Fora que o filme começa a se enrolar com diversas subtramas, em que uma ou no máximo duas são interessantes, e se perde totalmente. Outra coisa que estou de saco cheio é de filmes nacionais que abordam ditadura, golpe militar, censura, e coisas afins. Sério, já estou sem paciência.

É percebido ainda o esforço de Walter Lima Jr para que o filme seja bem entendido por qualquer um. Digo isso porquê em alguns momentos ele parece tratar a gente como idiota. Isso é visto facilmente quando temos as cenas no “futuro“, com eles idosos e uma sequência em que os ‘velhinhos‘ iam se apresentando como se estivessem numa chamada em sala de aula: “Oi eu sou o Dico, aquele que era Selton Mello antes, continuo com a mesma voz“. Não precisava, bastava mostrar umas sequências e deixar a gente curtir um pouco aquele lance de tentar vislumbrar quem é quem. Bom, paciência tambén né?

O filme tem seus momentos bons e canções maravilhosas. Algumas sequências no meio do filme são muito boas. Mas a todo momento ia sendo ‘cutucado mentalmente‘ e na cena final do filme, quando um ator retorna interpretando um novo personagem e ainda me senta no piano pra tocar. Eu soltei um PORRA, MAN bem alto na sala. Eu já estava nesse momento cansado e torcendo para que ele acabasse logo antes que jogasse tudo por água abaixo, mas o final foi implacável.

Se tínhamos um filme com um tema bom e uma trama que tinha bastante potencial, recheado de bons e ótimos atores de início, no desfecho do filme tudo vai se desarranjando e no final até que faz juz ao nome da banda. Acredito que a Bossa Nova merecesse um filme menos desafinado para homenagear os seus 50 anos. Se for conferir nos cinemas, faça por sua conta e risco.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

2 Comments

  1. Por mim a bossa nova nunca tinha sido inventada.
    (dando uma de chato que nem você)

    Porra man, tava na cara que esse filme não procedia, antes você tivesse ido ver Mamma mia, sem dúvidas vc ia se divertir mais.

    Ah, parece que Tropic Thunder vai estrear na sexta.
    Aí a gente marca de ver!

    Post a Reply
  2. Eu não entendo pq essa comparação com Mamma Mia, tem muito a ver não rei. O filme não é um musical daqueles que as pessoas andam cantando, falam cantando. É apenas um filme com musicas, muitas musicas.

    Vamos marcar sim pra ver Tropic Thunder! Sem dúvidas,,,

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Marcio via Rec6 - Os Desafinados... Me afeiçoei ao filme %COs Desafinados%D de Walter Lima Jr ao ver o trailer. Com um elenco…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.