Encarnação do Demônio

Encarnação do Demônio

Direção: José Mojica Marins.
Roteiro: José Mojica Marins e Dennison Ramalho.
Elenco: José Mojica Marins, Jece Valadão, Milhem Cortaz, Adriano Stuart, Débora Muniz, Cléo de Páris, Zé Celso, Nara Sakarê e Rui Rezende.
Ano: 2008.
Gênero: Terror.
Tempo: 98 min.

Sinopse: Após 40 anos preso, Zé do Caixão (José Mojica Marins) é finalmente libertado. Novamente em contato com as ruas, o sádico coveiro está decidido a cumprir a mesma meta que o levou preso: encontrar a mulher que possa lhe gerar um filho perfeito. Em seu caminho pela cidade de São Paulo, deixa um rastro de horror, enfrentando leis não-naturais e crendices populares.

Zé do Caixão, “vulgoJosé Mojica Marins, sem dúvidas é um grande ícone cultural do nosso país. Ele na verdade é o expoente máximo do gênero do terror nacional. Encarnação do Demônio é o desfecho de sua trilogia inicia nos anos 60 com “À Meia Noite Levarei sua Alma” (1964) e “Esta Noite Encarnarei no seu Cadáver” (1967). Eu conhecia apenas o básico dele, suas aparições em programas na tv, ou em entrevistas, sequer tinha assistido seus primeiros filmes.

Com a chegada de seu mais novo filme nas telonas fui conferir de perto, com o apoio de Ramonaldo que falou que poderia assistí-lo sem ter visto seus antecessores sem problemas. E realmente não chega a ser um problema, os momentos em que “puxam” pelos filmes antecessores é mostrado tudo em “flashback“. Claro que já estou em posse dos DVDs de seus primeiros filmes e irei conferir logo.

Muitos chegam a comparar seu filme, e suas cenas também, com os grandes ‘sucessos‘ atuais, como Jogos Mortais e o Albergue. Com um orçamento pequeno se comparado com os grandes filmes gringos, mas que para ele sem dúvidas foi uma fortuna os quase 2 milhões de reais, ele consegue deixar no chinelo os outros filmes do gênero.

Algumas cenas são muito fortes e bem feitas, e claro que é um grande preconceito meu (ou nosso até), me surpreender quando vejo cenas no mínimo do mesmo nível dos filmes ‘gore/porn‘ que citei acima. Mojica fez cenas fortíssimas e de tirar o chapéu. Ou seria o coro cabeludo? Com certeza muita gente deve ter fechado os olhos em algumas passagens. Além da violência temos muita mulher nua, ‘safadezas‘ e nojeiras também. Um prato cheio para quem gosta do gênero.

Eu confesso que mais me diverti do que fiquei “chocado” com o filme, se é que vocês me entendem. É difícil levar a sério o figuraça Zé do Caixão e toda sua dicção e jeito inconfundível de pronunciar suas frases. Algumas até me lembraram um pouco o grande Yoda, acredito que só eu tenha pensado nisso, aposto! Fora as grandes ‘mensagens‘ soltas pelos demais personagens no filme como “Você está entre o nada e começo de tudo!”, seguido momentos depois por um “É mentííííraaaa!” por Zé Mojica. Sensacional!

Ainda sim, mesmo que tenha gostado muito do filme, acredito que muita gente não vai ter o mesmo pensamento. Na sessão que fui mesmo tinha uma gurizada rindo e odiando, saindo inclusive antes de terminar o filme. Não sei se é um filme pra “todo mundo“, ainda sim posso afirmar que no mínimo vale sua ida ao cinema, nem que seja para, assim como eu, matar aquela curiosidade mórbida de conhecer um filme do grande Zé do Caixão. E lembre-se, uma vez dentro do cinema não adianta chamar por Deus, afinal ele não foi convidado para a festa!

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

14 Comments

  1. Eu vi este filme sozinho com Isabel. Fazia muito tempo que eu não ia a uma sessão completamente vazia. Achei uma pena, pois o filme diverte mesmo e têm cenas fortes que não deixam nada a desejar frente a filmes como o Albergue.

    Eu concordo com você que este filme não é para todo mundo, mas creio que boa parte dos fãs do horror precisam ver o único representante (até o lançamento do Porto dos Mortos) do terror nacional. Precisamos incentivar, pois assim outros virão.

    Post a Reply
  2. Porra man, vc devia ter me chamado pra ir com vc.
    O filme é realmente demais!
    E foda que o público não tá dando atenção ao filme, isso é foda.

    Post a Reply
  3. Porra man, fui meio que “de repente” não estava programado não, se não lhe chamaria.

    Sensacional, e realmente as pessoas preferem ainda assistir jogos mortais 39 a ver Zé do Caixão. É uma pena!

    Post a Reply
  4. Fala ai GRande Marcio!

    Olha, nunca fui muito com a cara do Zé do Caixão não! Mas depois de tanta propaganda fiquei até curioso.

    Post a Reply
  5. naturalmente não se trata duma produção hollywoodiana, e sim de filme nacional, e é aí que tá a questão, pra ser um filme nacional, o filme é muito bom. sabemos que ainda não há muito investimento, mas esse filme é bom sim, fiel ao que sempre foi o zé do caixão (segundo meu pai me disse) e bem produzido, com as cenas de terror parecendo terror mesmo, e não efeitos tipo chaves ou mutantes da record. e além de tudo, belíssimas atrizes.
    parabéns zé do caixão.
    espero que venha a encarnação do demonio 2 com os zezinhos dos caixãozinhos.

    Post a Reply
  6. Douglas, segundo vi numa entrevista com ‘Zé’, ele falou que está pensando em lançar antes um filme com outro novo personagem, o devorador de olhos.

    Um cientista/médico que vive na amazônia e precisa “comer olhos” dos outros para curar ou seria sobreviver à sua doença(?). Loucura né?

    É esperar pra ver!

    Post a Reply
  7. Uma coisa que eu fiquei intrigado é com aquela “morte” (acho que era), o figurino e maquiagem contrastando com todo resto, parecia teatro de escola, mas tudo bem…

    “Mojica fez cenas fortíssimas e de tirar o chapéu. Ou seria o coro cabeludo?” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Post a Reply
    • É o tipo da coisa Bruno, se Mojica fosse um argentino, uruguaio ou espanhol (quiçá até um americano) todo mundo estaria idolatrando o grande gênio do cinema gringo.

      Como é brasileiro, sofre com estes tipos de preconceitos e só é reconhecido mesmo internacionalmente, onde não cansa de ganhar prêmios de cinema.

      Post a Reply
  8. Quando fui ver esse filme, tinha 8 pessoas na sala. Uma pena ser tão desprestigiado…
    Achei o máximo e me diverti horrores!

    “-Mateei suas tiiiiias. O que você vai fazeeeeer?”
    “-Serei sua!”

    hahahahaha

    Sen-sa-cio-nal!!

    Post a Reply
    • Realmente Zé do Caixão é muito genial e seus trabalhos são diversão garantida. Pena que ninguém lhe dê o devido valor aqui no Brasil, enquanto lá fora ele vive ganhando prêmios.

      Post a Reply
  9. achei que vc daria 1 controle pq não são muitos filmes brasileiros que são bons pq brasileiro é uma merda,sei lá achei que o filme fosse que nem mutantes da record kkkkk com efeitos feios,mortes ruins, me interessei vou por na minha lista de filmes.

    Post a Reply
    • Zé do Caixão é gênio man, merece ser visto sim. Este filme ganhou prêmios em festivais internacionais.

      Post a Reply
  10. Se eu contar que até hoje não assisti esse filme, você acredita?
    tenho um tremendo cagaço do Ze do Caixao

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.