Problemas de Um Dorminhoco (Narco)

Direção: Tristan Aurouet, Gilles Lellouche.
Roteiro: Gilles Lellouche, Philippe Lefebvre, Alain Attal.
Elenco: Guillaume Canet, Zabou, Benoit Poelvoorde, Jean-Claude Van Damme, Benoit Poelvoord, Guillaume Gallienne, François Berléand.
Ano: 2004 (França)
Gênero: Comédia, Drama.
Tempo: 105 min.

Sinopse: Gus (Guillaume Canet) é um sujeito que possui uma estranha e rada doença, a narcolepsia, que o coloca em estado de sono profundo em momentos inusitados, esteja ele onde estiver. Devido a este problema ele não consegue se firmar em nenhum emprego, e para piorar sua situação sua esposa já está cansada de ser casada com um “dorminhoco”. Carente ela acaba indo procurar atenção com o melhor amigo de seu marido, Lenny Bar (Benoît Poelvoorde), um sujeito que acha ser o melhor carateca do mundo, grande fã de Van Damme.

Tivesse eu numa locadora escolhendo algum filme para assistir, jamais pegaria um intitulado “Problemas de um Dorminhoco“. Narco foi lançado em 2004 na França – já estou quase formando um “hit-combo francês” – e recebeu este incrível título da máquina aleatória de títulos para filmes no Brasil. O filme começa muito bem e é “vendido” como comédia, mas o que começa hilário e engraçado, no fim se torna um uma obra dramática. Depois do meu primo me aparecer com este DVD, resolvi conferir, afinal já virei quase um admirador de filmes franceses e fiquei curioso com a sinopse do filme.

Gus (Guillaume Canet) sofre de um mal raro e bastante estranho, a narcolepsia. Quem possui esta doença cai em estado de sono profundo sem nenhum motivo aparente, simplesmente desaba do nada. Devido a este problema ele não consegue se manter em nenhum emprego. Sua mulher, que antes achava isso “fofinho” e sempre foi apaixonada por ele, já começa a dar sinais de cansaço, pois ele sempre pode dormir, seja quando ela está falando com ele, beijando e tudo mais o que vocês imaginarem.

É neste início de filme que temos as cenas mais hilárias e inusitadas. Quando Gus cai no sono, ele começa a sonhar com um protagonista de filme de ação. Vários sonhos meio loucos com ele detonando tudo. Ninguém de início se interessa muito, até mesmo quando ele decide desenhar e transformar seus relatos em histórias em quadrinhos. Quem primeiro percebe que suas HQ´s são uma mina de ouro é um psicanalista de um grupo de “ajuda” que Gus começa a frequentar a pedido de sua esposa.

Lenny Bar (Benoît Poelvoorde) é o melhor personagem do filme, ele é também o melhor amigo de Gus. Lenny se acha o melhor carateca do mundo. Suas cenas são muito legais, principalmente quando nos é apresentado seus métodos “nada usuais” de ensino do Karatê para crianças. Ele é um grande fã de Van Damme, que tem algumas participações no filme, já que Lenny em alguns momentos “conversa” com ele e recebe lições de moral e de vida. Só isso já valeu ter visto o filme, muito genial.

A história vai se desenvolvendo, e todos que eram pra ajudar Gus acabam se aproveitando dele e de suas HQ´s para ganhar dinheiro sem ele saber é lógico. Depois de passarmos bons momentos rindo e nos divertindo, o filme começa a se perder um pouco. Termina com uma “lição de moral meia-boca” e fiquei com a sensação de que poderia ter sido melhor.

No geral um filme legal e divertido, com algumas sacadas geniais como as aparições de Jean-Cloude Van Damme e Lenny também se achando o melhor carateca do mundo. Gus fica com a parte de trazer carisma à trama. Não é nada de outro mundo, por tanto, só assista se a oportunidade lhe bater à porta, não é daqueles filmes que eu precise dizer “corra e vá tratá-lo de assistir“.

Related Posts with Thumbnails