A Língua das Mariposas (La Lengua de las Mariposas/Butterfly)

Direção: José Luis Cuerda.
Roteiro: Rafael Azcona, José Luis Cuerda, Manuel Rivas.
Elenco: Fernando Fernán Gómez, Manuel Lozano, Uxia Blanco, Gonzalo Martin Uriarte, Alexis de Los Santos.
Ano: 1999.
Gênero: Drama.
Tempo: 96 min.

Sinopse: O mundo de Mocho vivia em paz até o início da Guerra Civil Espanhola. É seu primeiro ano na escola, ele gosta do professor e encontra um novo amigo, Roque. Em uma viagem com a banda de seu irmão, Mocho descobre o que acontece em seu país. Rebeldes fascistas abrem fogo contra o regime republicano e o povo se divide. O pai e o professor do menino são republicanos, mas os rebeldes ganham força, virando a vida do garoto de pernas para o ar.

Depois de uma rápida incursão no cinema francês, tive o prazer de ver mais um ótimo filme europeu, desta vez um espanhol. Quando se fala em cinema da espanha lembramos logo dos filmes de Almodóvar e seu formato, entretanto, o diretor José Luis Cuerda em La Lengua de las Mariposas nos apresenta um filme lindo e muito cativante, sem deixar de lado as críticas sociais referente a guerra civil espanhola e toda a transformação que o país passou naquela época. O filme é bem antigo, de 1999, e minha amada trouxe para a gente assistir do acervo de filmes espanhois da UFBA. Sim, o filme foi todo em espanhol. Tinha a opção de vê-lo em galego também, claro que recusei. Com as legendas e uma professora de espanhol ao lado foi muito fácil assistí-lo e entender tudo o que estava acontecendo.

Claro que o filme tem sua versão com legenda em português, e nos EUA foi chamado simplesmente de “Butterfly“. Mais uma boa dica para quem quer pegar algum filme antigo para assistir, principalmente para aqueles que gostam de histórias simples e fascinantes. O pequeno Moncho (Manuel Lozano) é uma ‘fofura‘, uma simples criança totalmente inocente aos acontecimentos duros que a espanha estava passando enquanto ele estava descobrindo a vida, curtindo a escola, seu professor e grande mestre Don Gregorio (Fernando Fernán Gómez), descobrindo o amor e também confuso em saber que “los hombres montan las mujeres“.

Já começamos a ver o suplício que esta sendo para o pequeno Moncho o seu primeiro dia de aula. Com idéias nada belas que botaram em sua cabeça, na qual disseram que ao menor erro o professor poderia castigá-lo severamente, ele pensa até em fugir do país para evitar a escola. Mas aos poucos, ele vai adorando a aula, os seus amigos de colégio e principalmente aprendendo muito sobre a vida com o preofessor Don Gregorio. Numa viagem com o seu irmão, que toca numa banda, ele faz mais descobertas e começamos a ver o “cerco” fechando para uma guerra civil iminente. A vida simples de Moncho começa a sofrer complicações.

Seu honrado professor e também seu pai são republicanos e as coisas começam a ficar muito difíceis para eles devido a este posicionamento político. Chegando mais próximo ao desfecho do filme é que vamos vendo as consequências graves que a guerra civil espanhola passa a ter na vida do pequeno Moncho. Na cena final, que é muito boa, o filme nos deixa uma lacuna um pouco aberta, afinal, será que o pequeno Moncho realmente aprendeu tudo, ou era aquilo apenas um acesso de raiva?

Algumas curiosidades sobre “la película” são interessantes. O ator Fenando Fernán Gómez (que interpreta o professor) já atuou em mais de 200 filmes e também escreveu e dirigiu muitos outros. O cineasta e músico Alejandro Amenábar que fez a trilha sonora foi diretor do ótimo suspense “Os Outros“, assim como Jose Luis Cuerda o diretor deste filme.

Eu particulamente achei muito bom. Só não recomendo para pessoas que preferem filmes mais ágeis e não goste de dramas “bonitinhos“. Para quem gosta de filmes cativantes e está afim de se emocionar um pouco com uma bela história, é uma ótima dica ao ir na locadora ou até o site mais próximo disponível.

Related Posts with Thumbnails