Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull)

Direção: Steven Spielberg.
Roteiro: David Koepp, George Lucas, Jeff Nathanson.
Lançamento: 2008.
Elenco: Harrison Ford, Cate Blanchett, Karen Allen, Shia LaBeouf, Ray Winstone, John Hurt, Jim Broadbent, Igor Jijikine.
Gênero: Aventura, ação.
Tempo: 124 min.

Sinopse: Em 1957, auge da Guerra Fria, Indy (Harrison Ford) e seu aliado Mac (Ray Winstone) escapam por pouco de perversos agentes soviéticos em uma remota base aérea depois de ser obrigados a ajudá-lo encontrar um misterioso objeto. De volta a seu lar, a Universidade Marshall, ele descobre que suas atividades recentes fizeram dele um objeto de desconfiança e que será demitido da universidade. Ao deixar a cidade, Indiana conhece Mutt (Shia Labeouf), um jovem rebelde (com um certo rancor por Indiana) que traz uma proposta para o arqueólogo aventureiro: se ajudá-lo em uma missão com implicações altamente pessoais, Indy pode fazer uma das mais espetaculares descobertas da história – a Caveira de Cristal de Akator, um lendário objeto de fascinação, superstição e medo.

Indiana Jones consegue nos trazer novamente toda magia e encantamento de seus filmes antecessores mesmo após quase 20 anos. Como era esperado, muita gente torceu o nariz com o seu retorno e ficou esperando o pior. Com certeza irão quebrar a cara porquê o velho Indiana Jones (que é chamado até de vovô no filme) está de volta pra valer. Em Reino da Caveira de Cristal você irá encontrar uma dose de entretenimento completa, muita ação, aventura, boas doses doses de humor e sacadas geniais. É diversão garantida.

Que Harrison Ford ainda tinha fôlego para viver novamente o grande arqueólogo aventureiro Indiana Jones eu já não tinha muitas dúvidas, isso porquê a 2 anos atrás eu assisti um filme com ele Firewall, não é muito bom mas ele já tinha mostrado que “pique” ele ainda tinha guardado. Para quem ficou achando que não as cenas de ação, principalmente a inicial, derruba qualquer dúvida. Só não sei se nos dias de hoje, este filme irá conseguir atrair a atenção e público que conseguiu na década de 80. Os tempos são outros e o filme é exatamente como os seus grandes clássicos.

Algumas poucas coisas não gostei, aliás quase nada. Alguns efeitos especiais pareciam que podiam ser feitos de uma melhor forma e o melhor momento do filme não é o final. Nada que atrapalhe sua diversão e entusiasmo do início ao fim. Só de ouvir a música tema eu já ficava alucinado. É muito bom mesmo. Temos os vilões ‘caricatos‘, temos os milhares de tiros que nunca acertam os protagonistas, temos ótimas doses de humor, mistério, elementos sobrenaturais, histórias e fantasias, ou seja, tudo, absolutamente tudo que sempre tivemos nos filmes de Indiana Jones.

Cate Blanchett interpretando a grande vilã Irina Spalko está sensacional. Só seu lindo sotaque russo já vale sua aparição no filme. Quem se contorceu com a entrada de Shia Labeouf se deu mal também, o garoto manda muito bem, como fez em Paranóia e Transformers. Tomara que não se perca como grandes ídolos meus dos anos 80, tem tudo para ser um grande astro. A aparição que acaba destoando um pouco do conjunto, mas que ainda sim rende algumas boas risadas, é de John Hurt como o professor que ficou meio zureta Oxley. Ray Winstone também rende belos momentos durante o filme como parceiro de Indy. Karen Allen está de volta – ela participou do primeiro filme “Os Caçadores A Arca Perdida” – e mostra que tem muito carisma, também é responsável por algumas cênas cômicas.

O filme inicia e já nos mostra que estamos em 1957, quem não perceber a informação logo de cara vai se ambientar facilmente nos anos 50. Sai o perigo e ameaça dos nazistas e entra a guerra fria e os russos. Logo de início temos Indiana Jones e seu companheiro Mac tendo que ajudar perigosos soldados russos a encontrar um artefato numa base ‘secreta‘ americana. Logo na sequência temos uma cena que passou um pouco dos limites, mas tudo bem, estamos no cinema para se divertir ou não?

Levando uma vida pacata lecionando na Universidade, logo Henry “Indiana” Jones Jr descobre que está sendo expulso pelos seus comportamentos ‘suspeitos‘, sendo objeto de desconfiança do governo. Logo em seguida ele conhece o jovem Mutt, que descobre ser filho de um ex ‘affair‘ seu, que está querendo seu auxílio para resgatar sua mãe e também o professor Oxley, com isso Indy ainda seria capaz de encontrar a Caveira de Crystal, um misterioso artefato que os russos também estão procurando. A partir daí a história desengrena sensacionalmente.

Um filme altamente recomendado pois é diversão do início ao fim. O filme acabou pecando um pouco em algumas cenas ou ainda por nos dar os melhores momentos antes de seu final, entretanto, isso é um “nada” comparado a avalanche de emoção, magia e nostalgia que ele nos dá. Diversão garantidíssima, eu particulamente gostei muito. Resolvi mudar a pontuação de 4 para 5 controles depois de pensar melhor e ouvir o chato do Ramon, desse vez ele tem razão! 😛

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

8 Comments

  1. Depois eu que sou o crítico chato, esse filme é 5 estrelas sem dúvidas. O problema dos efeitos especiais, eu acho que foram feitos “toscamente” de propósito, para manter o clima de “lado b”. E desde quando o final não ser a melhor parte é um problema? Mas enfim…

    Só uma pequena correção, o nome é “Os Caçadores da Arca Perdida”, mas agora em dvd virou “Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida”.

    Post a Reply
  2. Assim que publiquei saí de casa e lembrei do nome correto do filme e sabia que vc ia comentar, em fim , corrigi hehehe.

    Eu queria dar 4 controles e meio mas não deu, talvez 5 controles fosse mais sensato, como eu disse o filme é nota 9 😀

    Talvez porquê eu não seja um fã fervoroso, talvez por isso não dei um 10 😛

    Post a Reply
  3. Man, troquei até a classificação por sua causa, você tem razão. Eu ainda acho um filme nota 9 pra 10, então vamos arredondar pra cima 🙂

    Post a Reply
  4. Esse seu artigo será ótima para ser usado no processo de convencimento que farei com minha namorada!

    Abraços.

    Post a Reply
  5. Eu não achei estas coisas todas. Não digo que não vou comprar quando sair em DVD, mas esperava mais.

    Detalhe para a caracterização de Blanchett que em vários momentos (auxiliada pela roupa e trilha sonora) me lembrou Dr. Evil de Austin Powers

    Post a Reply
  6. já assistir 3 vezes!
    muito bom!

    Post a Reply
  7. o filme realmente é muito bom,apesar que eu daria 4 estrelas,mas ta valendo,agora o Steven Spielberg,não resistiu tinha que colocar alienígenas num filme do Indana Jones ?

    Post a Reply
    • Como produtor Spielberg deu vários de seus pitacos e o filme acabou ficando parecendo como se fosse ele mesmo que o tivesse feito e não J.J. Abrams

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. [Crítica] Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal | Antenando - Cinema - [...] também a crítica/resenha que o Marcio Mello fez no Porra, man! INDIANA JONES E O REINO DA CAVEIRA DE…
  2. Marcio via Rec6 - Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal... Em Reino da Caveira de Cristal você irá encontrar uma…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.