Desejo e Reparação (Atonement)

Direção: Joe Wrigth
Roteiro: Christopher Hampton adaptando livro de Ian Macwan.
Lançamento: 2007 (EUA), 2008 (Brasil).
Elenco: Keira Knightley,James McAvoy, Romola Garai, Saoirse Ronan, Vanessa Redgrave, Brenda Blethyn, Juno Temple, Alfie Allen, Nonso Anozie.
Gênero: Drama, Romance.
Tempo: 130 min.

Sinopse: Briony Tallis (Saoirse Ronan) é uma jovem garota de 13 anos, escritora e com uma grande imaginação. Ela nutre um amor secreto, e não correspondido, pelo filho dos empregados, Robbie Turner (Jon MacAvoy), de sua tradicional família inglesa, que na verdade tem seu amor correspondido por sua irmã mais velha, Cecília Tallis (Keira Knightley). Depois de acusar Robbie de um crime que não cometeu, ele acaba mudando drasticamente a vida de todos.

Depois de ter começado muito bem com “Orgulho e Preconceito“, o diretor Joe Wrigth retornou com mais um romance de época “Desejo e Reparação“, trazendo ainda na bagagem a mesma atriz que participou do seu filme antecessor Keira Knightley. O filme foi adaptado do livro de Ian Macwan, recebeu 7 indicações ao Oscar e levou a estatueta de melhor trilha sonora original. E por quê, depois de tanto tempo, venho eu aqui comentar que o filme é “bom” e não “excelente“, seguindo a indicação ao Oscar e também a maioria das criticas especializadas? Porquê achei o filme realmente muito bom, mas é chatíssimo e sonolento.

A trama começa com a extraordinária atuação de Saoirse Ronan interpretando Briony Tallis (com 13 anos), uma garota ‘gênia‘, escritora, que faz algumas peças e nutre um amor secreto por Robbie (Jon MacAvoy) que é digamos o ‘caseiro‘ de sua família. Sua irmã Cecília (Keira Knightley) nutre um amor por Robbie que é correspondido. Depois de uma série de confusões ela acusa Robbie injustamente por um crime que não cometeu. A partir daí a tragédia se instaura na vida de Robbie, acaba com a felicidade de sua irmã e de quebra deixa um enorme sentimento para Briony de culpa, por seu grave erro cometido.

A situação toma proporções catastróficas e somos levados de uma forma muito bela, e nada convencional para filmes de romance, pelos acontecimentos na vida de cada um. O problema é que é tudo muito arrastado, e se você não estiver bem disposto pode acabar achando tudo muito monótono, ou pior, pode fazer como fiz e dormir. Eu só consegui ver o filme na terceira tentativa. É bem provável que o chato seja eu.

O filme conta com belas paisagens e uma ótima trilha sonora. As atuações são fantásticas e o roteiro é bem desenhado de uma forma que, ao terminar o filme, você fica bem satisfeito com tudo que lhe foi apresentado. Principalmente com o desfecho da história, que é de certa forma surpreendente. Fugindo dos finais manjados para filmes românticos, de época ou não.

Como as opniões aqui no blog ainda são bastante pessoais, eu não tenho problemas ao assumir que gostei do filme, mas não o achei excelente simplesmente porquê é um filme realmente chatinho e sonolento. O ritmo até próximo à metade da história é muito devagar. Depois transcorre num ritmo melhor. Para muita gente uma verdadeira aula de cinema, já para mim, trata-se de uma ótima história de romance, com uma narrativa bastante criativa, mas recomendado apenas para quem não se incomoda com filmes ‘arrastados‘.


Related Posts with Thumbnails