10.000 A.C. (10.000 B.C.)

Direção: Roland Emmerich.
Roteiro: Roland Emmerich eHarald Kloser.

Lançamento: 2008.
Elenco: Steven Strait, Camilla Belle, Cliff Curtis, Joel Virgil, Affif Ben Badra, Mo Zinal, Nathanael Baring, Mona Hammond, Marco Khan, Reece Ritchie.

Gênero: Aventura/Drama.
Tempo: 109 min.

Sinopse: Nos tempos pré-históricos (10 mil anos antes de Cristo), uma tribo luta pela sobrevivência. Um jovem chamado D´Leh (Steven Strait) acaba tendo que atravessar o mundo, enfrentando animais diversos e conhecendo outras civilizações, para regatar alguns integrantes de sua tribo, principalmente sua amada Evolet (Camilla Belle), que foram sequestrados por um grupo comandado por um temível Guerreiro.

A maior sensação que tive ao terminar de assistir 10.000 AC foi que desperdiçaram um belo cenário com um enredo muito fraco. Se os efeitos especiais não são espetaculares eles ao menos são agradáveis de se ver. Sem contar que voltar tanto tempo atrás mexe com nosso imaginário. Ainda mais quando se mistura a história do planeta mostrando diversas civilizações antigas. O problema é que tudo muito bobo, o que acaba lhe desanimando.


Utilizar atores desconhecidos não é um demérito, muito pelo contrário, funciona muito bem se feito de maneira correta. O problema para mim é um filme me fazer lembrar o tenebroso Eragon em alguns momentos. Sem contar que existiram cenas que eu ri bastante, e isso é altamente preocupante quando o filme, e principalmente a cena, não eram para serem engraçados. A Anciã me fez rir um pouco, agora, tem um albino cego que quando ele começou a falar eu passei mal, eu quase cuspo o refrigerante que estava bebendo de tanto rir. Se fizerem um “Todo mundo em pânico 19” já podem utilizar esta mesma cena sem precisar refazerem de forma cômica, afinal a original já é engraçada demais.

Algumas cenas de ação são bem legais, tem raras boas sacadas sobre a história da colonização do planeta, algumas absurdas e que não poderiam ter existido naquela época, mas não vamos ser chatos ao extremo ok? Isso faz o filme não ser um dos piores, principalmente se você deixar de lado o blábláblá do roteiro inútil e nada empolgante. Evolet é interpretada por Camilla Belle por uma forma tão sensacional que a única coisa que você vai lembrar dela neste filme são seus olhos azuis.
Uma tribo rastafary da “era glacial” depois de muito caçar mamutes saí para resgatar parte da sua “turminha” que foi sequestrada. O personagem principal vai atrás da princesinha dos olhos azuis, aprende tudo que um líder mundial precisa em pouco tempo (Eragon fazendo escola) e a cena que tem no poster ‘non ecziste’, pelo menos não como está configurada. O final então é terrível.


Não pense que contei muitos spoilers, aliás, posso garantir que nenhum detalhe importante foi contado, até porquê eles não existem. Do tipo de aventura para você ver comendo sua pipoquinha sem se preocupar com a trama, entretenimento apenas, para alguns mais exigentes não vai descer redondo de forma alguma. Assista por sua conta e risco, eu não recomendo gastar dinheiro com um ingresso para este filme, veja outro e espere passar na temperatura máxima.

Related Posts with Thumbnails