Direção: Matt Reeves.
Roteiro: Drew Goddard.
Elenco: Lizzy Caplan, Jessica Lucas, T.J. Miller, Michael Stahl-David, Blake Lively, Mike Vogel, Odette Yustman.
Gênero: Ficção, Ação.
Tempo: 85 min.

Sinopse: Durante a festa de despedida de um grande amigo, um grupo de jovens se encontra em uma fuga alucinada por Nova York que está sendo atacada por um monstro gigante de origem desconhecida. Mostrado do ponto de vista de uma câmera ‘de mão’ de um dos participantes da festa, o filme é um ‘documento visual’ sobre a destruição da cidade, que começa com a cabeça da estátua da liberdade caindo do céu.

O texto abaixo possui alguns Spoilers, portanto, se não quer saber nada sobre a trama pare a leitura aqui.

Depois de uma forte campanha na internet que deixou muita gente louca, com teasers, fotos e até cinco minutos do filme, finalmente conferi Cloverfield. É daqueles filmes que você vai gostar muito ou então vai odiar, não consigo ver um meio termo. Saí realmente muito contente do cinema, pois o filme é assustador e tenso, diversão garantida. Ainda sim tiveram algumas pessoas que sairam reclamando, uma inclusive saiu gritando que queria o dinheiro de volta. Produzido por um dos produtores de Lost, J.J.Abrams, o filme tem um pouco daquele mistério que envolve o seriado.
A obra foi filmada totalmente com uma câmera de mão, deixando quem está assistindo com a mesma perspectiva dos pobre atores que estão correndo feito louco do monstro gigante (ou seriam monstros?) que está destruindo toda Nova York. Pode esperar câmera tremida com toda certeza, algumas pessoas disseram sentir um certo desconforto, teve até um amigo meu que mais parece uma bichona, disse que ficou “enjoadinho” com o filme. Eu não senti nada de anormal.

Logo de início já vemos a mensagem que a fita exibida foi encontrado no que antes era conhecido como “Central Park”, ou seja, você já começa a ver o filme sabendo que a cidade foi detonada. Devido a este fato, as comparações com Bruxa de Blair – Blair Project (o 2 não amigo, aquilo foi uma insandice sem limites que inventaram) são inevitáveis para alguns. Só que para mim pára na questão de ser filmado com a câmera na mão, de resto não temos mais nada parecido, principalmente o orçamento, onde a diferença é altíssima. Cloverfield – Monstro foi filmado para se parecer com um filme barato, mas não foi. A arrecadação inicial nos Estados Unidos foi muito boa, com certeza devido ao fato da campanha apresentada na internet. Os atores desconhecidos ajudam ainda mais com que pensemos desta forma.
Claro que o grande mistério do filme, e que nos deixa totalmente loucos é o Monstro. Como ele é realmente? Só o vemos mais claramente no final do filme. De resto algumas cenas rápidas. E de onde ele veio? Vertentes fortes de fãs do filme confirmam que ele veio das profundezas do Oceano. Afinal, ficaria meio estranho ele ser um ET que veio do espaço caindo diretamente em NY.

Mas o ponto forte do filme é justamente este, o mistério. Ficar querendo explicações de onde ele veio me parece mais assunto para extras em DVD, sites na internet ou ainda quem sabe uma possível continuação. É a mesma coisa que penso de alguns filmes de Zumbi do grande George Romero, tem muita gente que fica reclamando que os Zumbis aparecem do nada e saem matando e mordendo todo mundo sem nos dar explicações. Durante o filme você vai seguindo aquele ritmo frenético atrás de ver que porra é aquele monstro. Lembra uma aranha ou caranguejo gigante? Um dinossauro? E os parasitas que caem deles atacando todo mundo?
Alguns momentos bem humorados também são outro ponto forte do filme, principalmente no momento em que o “câmera man” Hud diz: “Nossas opções são: morrer na rua acima, morrer no túnel ou morrer aqui dentro desta sala.”

Faltou muito pouco para eu dar um excelente, talvez um 4 controles e meio seria a nota ideal, mas como não vou ficar partindo os controles e complicando a classificação vamos deixá-lo apenas como um filme muito bom. Talvez se explorassem mais um pouco os personagens e nos deixassem nos apegarmos um pouco mais a eles, e não ficar apenas vendo um por um morrendo como brinquedinhos descartáveis, me deixasse um pouco mais confiante no “excelente“. Tem quem fique apontado algumas coisas que não o deixam totalmente com o tom de “realidade”, prefiro deixar a diversão me levando e não ficar me apegando a ‘firulinhas’ desnecessárias.

Recomendo a todos, corra e vá no cinema assistir, não deixe passar em hipótese alguma. Depois venha aqui e comente de que lado você ficou, dos que adoraram/gostaram muito do filme ou dos que odiaram. Cloverfield não ficou em minha lista dos filmes mais esperados de 2008 à toa, tinham seus motivos. Agora depois de vê-lo no cinema ele tem, além dos motivos, os seus méritos. É uma grande obra que vai deixar sua marca na história (será que fui longe demais?).

Related Posts with Thumbnails