Donnie Darko é um daqueles filmes completamente ‘sem-noção‘, cheio de metáforas e com um leve toque de filosofia. Ramon já tinha me falado a muito tempo atrás que eu tinha que ver o filme do “Coelhão, um outro amigo meu de trabalho disse que quando alugou pensou que ele deveria ser o único maluco a pegar um filme com uma capa daquelas, um coelhão sinistro. Os dois gostaram do filme e logo fiquei curioso em assistí-lo.

O filme narra a história de Donnie Darko (Jake Gyllenhaal), um adolescente que uma noite saí de sua casa sonâmbulo e vê um “Coelhão“, isso mesmo, um gigante e demoníaco coelho (um homem vestido de coelho se ficar melhor pra entender) chamado Frank (James Duval). Ele diz a Donnie que o mundo vai acabar em 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 12 segundos. Pirem aí?! Ele retorna para sua casa na manhã seguinte e descobre que uma turbina de avião (cujo o qual não conseguem localizar) caiu bem no seu quarto naquela noite. Ao mesmo tempo em que ele tenta descobrir como e porquê sobreviveu ao acidente e tenta se enquadrar com o povo de sua cidade, com os amigos de escola, sua professora chata e conservadora, dentre outros problemas, Frank continua a pertubar a mente de Donnie, sempre surgindo e fazendo ele cometer alguns atos de vandalismo.


O filme foi escrito e dirigido por Richard Kelly, que recebeu incríveis $9.000,00 (isso mesmo, 9 mil dólares) para realizar o filme, que ainda conta com a participação até cômica de Pratrick Swayze (Ghost – Do outro lado da vida) e de Jena Malone como Gretchen Ross, a “namoradinha” de Donnie.


Será que preciso comentar algo mais? Acho que não. Se você é daqueles que gosta, nem que seja de vez em quando, de ver um filme para chacoalhar sua mente, te deixar um pouco atordoado e ainda lhe mostrar um final surpreendente, corra para assistir Donnie Darko. Eu adorei, virei tão fã do filme que já estou aqui no trabalho com o wallpaper do “coelhão“.

Related Posts with Thumbnails