Minha Vida Sem Mim (My Life Without Me)

Você pode se perguntar o que leva alguém ter um blog para falar de filmes que já tem um certo tempo que passaram. Eu só posso responder dizendo que são filmes como A Minha Vida Sem Mim (My Life Without Me) e também por escrever porquê gosto, sem querer ser um cara chato que só gosta de filmes “cabeça” e ridiculariza qualquer filme “popular“, que me levam a isto.

Acordei nesse domingão fui tomar café e liguei a tv no Telecine Premium e fiquei totalmente preso por este filme. É um daqueles filmes tristes mais belos, um ótimo drama que me fez vir aqui contar um pouco sobre ele.

Ann (Sarah Polley) é uma mãe batalhadora e dedicada que tem duas lindas filhas ainda crianças, um marido (Scott Speedman) que passa a maior parte do seu tempo desempregado do que trabalhando, uma mãe (Deborah Harry) que tem uma vida com vários sonhos quebrados e um pai que passou os últimos dez anos preso. Ann passa suas noites trabalhando ao invés de estar nas ruas se divertindo como as mulheres de sua idade (ela teve sua primeira filha com 17 anos). Além disso tudo ela ainda mora num velho trailler com o marido e suas filhas no quintal da casa de sua mãe. Sobrevivendo mas não “vivendo“.

Pode piorar? Dramas sempre podem piorar, e é aí que um dia ela passa mal e vai no médico que ao fazer alguns exames dá uma notícia nada boa. Ela então decide manter tudo sobre segredo para proteger suas filhas, e todas as pessoas ao seu lado. Dái ela resolve escrever uma lista de coisas que ela nunca fez na vida como, mudar o cabelo, colocar unhas postiças, falar com seu pai cadeia, dormir com outro homem, etc.

O filme é muito bom, vá até a locadora alugue ou espere uma reprise no Telecine se houver. Como eu disse anteriormente, é um filme com uma história bastante dramática mas que consegue ser comovente e muito belo, vale muito a pena.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

3 Comments

  1. Good blog, like kirai’s one!

    Besos from Spain 🙂

    Post a Reply
  2. Adoro o filme, e é um filme que nos faz pensar… Um drama lindo, e a banda sonora muito boa.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.